Metades por inteiro

Em 21.03.2016   Arquivado em Crônicas

MetadesPorInteiro

Amei Te Ver – Tiago Iorc

 

Eu deitei pra dormir, eu juro.

Mas quando você tá apaixonada, não é deitar e dormir. Porque de repente, a primeira coisa que vem no seu pensamento é aquele sorriso, aquele olhar que faz o seu coração bater rápido e o mundo ficar em câmera lenta.

Dizem que nada é por acaso. E acho que eu nunca pude comprovar uma teoria tão na prática como quando você cruzou o meu caminho e mudou o meu mundo.

Você chegou sem avisar com esse jeito marrento e irreverente. Nem pediu licença e por aqui foi ficando. E a cada dia que passava, você conquistava mais um pedacinho de mim. A cada dia, o que era uma trivialidade começou a se tornar necessidade. E não vou nem dizer que ganhamos intimidade porque parece que isso existe desde sempre entre a gente. Como se nos conhecêssemos de outras vidas. Essa é a única conclusão na qual eu pude chegar depois de tanto matutar. Foi o encontro de duas almas que estavam à procura, uma da outra. E a coincidência, o acaso, ou o destino – chame do que preferir -, nos colocou frente a frente, na 42 com a 8ª avenida.

Eu não sei o que aconteceu. Nem mesmo como. Há uma porção de coisas no mundo que até hoje não temos as respostas. E dentre os mistérios do universo e dos sete mares, com certeza podemos encontrar um espacinho para encaixar a nossa história.

Uma história que modéstia à parte, é digna de um livro com direito a reprodução cinematográfica. Que faz qualquer um suspirar e ficar boquiaberto com o nosso desenrolar. E eu, que sempre quis escrever uma história arrebatadora e de tirar o fôlego… Ironicamente a estou escrevendo. Mas com a sua ajuda.

E sim, eu disse que você chegou sem pedir licença, mesmo. E no começo eu achei que fosse pra bagunçar tudo. Demorou alguns dias até eu perceber que na verdade já estava uma bagunça, e que você estava ali, na realidade, pra colocar no lugar. E então, do meu coração… Você fez tua morada.

Eu já me perguntei o que diabos estava acontecendo. E eu juro que tentei entender… Mas depois de um tempo, eu simplesmente parei de tentar e passei a aceitar… Que eu estou honestamente, verdadeiramente e completamente apaixonada por você. De todas as maneiras que alguém pode se apaixonar. Aliás, você me conquistou de todas as maneiras que alguém pode conquistar uma pessoa. Dos pés à cabeça, de dentro pra fora e de fora pra dentro.

Você me faz acreditar que o próximo dia sempre vale à pena. Que pra tudo sempre existe uma solução. E que o amor… O amor sempre vence. Sempre. Sempre. Sempre.

Eu não vou mentir. Aliás, acho que essa palavra nem existe no nosso vocabulário. Já lhe disse e não foi uma… Não foram duas nem três vezes: eu estou com medo. Medo do que seremos e se seremos. Não é do julgamento e nem das más línguas. É daquilo tudo que não enxergamos, mas que existe. O tempo, a distância, a saudade.

Sou daquelas que sofre por antecipação e sente dor antes mesmo de levar a pancada. Talvez seja culpa das surras que a vida já deu, quem sabe. Só não digo que isso faz parte da minha natureza porque venho aprendido o contrário contigo. Quero que a gente dê certo. Quero fazer certo e quero você, de certo. E sei que você também me quer, pois somente um louco faria tudo o que fizeste até agora se não quisesse. Por isso, me apoio nas suas atitudes. Porque todo dia que acordei com a dúvida de saber se conseguiríamos passar por isso, você esteve ali, me provando que sim. E eu sei que você o fará quantas vezes mais forem necessárias, por querer e sem querer.

E eu só espero que a gente vença esse obstáculo. Aliás, espero que esse seja o único grande obstáculo que irá nos separar por um tempo.

Que o desejo seja realizado; que o vazio seja preenchido; que o sentimento cresça; que a distância se encurte; que as horas não nos afaste; que as metades sejam por inteiro.

Me espera.

Carta aos Leitores

Em 18.02.2016   Arquivado em Por aí

cartaa

Liberdade ou Solidão – Tiago Iorc

Sim, dessa vez eu vim me explicar. Porque apesar de não serem muitos, vocês, meus leitores, têm sido fieis e vindo visitar o Além do Meu Mundo com mais frequência do que eu esperava. Aliás… Não só vieram visitar, como também vieram perguntar por onde a dona desse mundo andava.

E por esse motivo acho que lhes devo satisfações e desculpas por ter sumido sem aviso prévio.

Quem me conhece sabe que não sou de ficar expondo minha vida pessoal aqui no blog. Quer dizer… Nem precisa me conhecer o suficiente. Basta dar aquela checada básica no conteúdo dos posts. Por isso, talvez alguns de vocês considerem as minhas explicações um tanto quanto superficiais. Vou tentar fazer o máximo para me fazer compreendida.

Pois bem. O Além do Meu Mundo parou por um tempinho, mas o meu mundo não. Muitas coisas aconteceram desde o último post, e por vezes pensei em postar uma crônica pronta. Eu tenho um enorme arsenal já pronto e poderia muito bem ter alimentado o conteúdo do blog. Mas o problema é que eu não sentia vontade.

“Como assim, Nats? É só copiar e colar, quirida.” Ora essa, eu bem sei! Afinal de contas, os posts geralmente são pré-produzidos, o que significa que não os produzo no momento de postá-los.

Inúmeras foram as vezes em que loguei na conta para postar. Mas por algum motivo que até agora não sei dizer qual, achava que nenhum dos posts que eu tinha deveria ser postado naquele momento. Não era o momento deles, sei lá. Dá pra entender?

Sei que não… Mas não se preocupem, pois isso me frustra tanto quanto deve frustrar vocês. Quer dizer… Esse é o momento em que eu tenho mais ideias, mais coisas brotando do meu coração e prontas para serem passadas para o papel (ou tela). E toda vez que peguei meu livrinho de viagem… Toda vez que abri o Word… Meus dedos tamborilavam e desistiam.

Porque minha cabeça está a mil e não consegue transferir o comando certo aos meus punhos. Não consegui escrever para o blog… Não consegui escrever minha fanfiction… Não consegui escrever uma porcaria de um cartão postal! E então eu acho que entendi.

Entendi depois de muito tempo que era tempo de não escrever, mas sim de viver. Estou sempre tão preocupada em querer escrever sobre tudo o que vejo e todos que conheço e desconheço… Que esqueci de escrever a principal história: a minha.

A realidade é que sempre esqueci de mim. Sempre coloquei as pessoas na frente, cuidei muito mais delas do que de mim. Gostei muito mais delas do que de mim. Na teoria e na poesia isso é lindo. Mas na prática…

Você vai desaparecendo sem nem perceber. E essa foi a minha resolução de Ano Novo: eu desapareci.

Desapareci e não sabia como mudar aquela sensação. Pela primeira vez me senti um pontinho sendo engolido pelas luzes e prédios da minha tão amada New York. Pela primeira vez não me senti parte dela nem de nenhum lugar. Algo estava muito errado e eu precisava mudar.

Era hora de eu começar a “olhar para o meu umbiguinho”, hora de pensar no que era melhor para mim, e não para os outros. Tem uma frase que pelo menos uma vez na vida todos nós escutaremos. “É você em primeiro lugar, você em segundo, em terceiro… E DEPOIS você pode PENSAR em começar a pensar em alguém.” Pois bem.

Pensar apenas em si mesmo não é assim tão simples quanto parece, não se deixe enganar. Porque pensar em si mesmo inclui ignorar o que as pessoas pensam sobre você ou se você terá que magoá-las para colocar o seu interesse e a sua pessoa em primeiro lugar. Inclui você tentar parar de controlar tudo ao seu redor. Inclui você parar de controlar o que sente e começar a se perguntar o que de fato está sentindo.

E é nesse processo em que me encontro neste exato momento. Foi uma surpresa quando finalmente decidi abrir os meus olhos, quando finalmente decidi olhar para baixo e me enxergar em vez de olhar para os lados. Tem coisa pra mudar, muita coisa pra fazer. E eu nem sei direito por onde começar, mas a principal coisa eu tenho: vontade.

Vontade de me amar. Vontade de tentar. Vontade de errar. Vontade de crescer. Vontade de me arrepender. Vontade de arriscar. Vontade de correr. Vontade de me machucar. Vontade de sarar. Vontade de refletir. Vontade de escrever. Vontade de concluir. Vontade de recomeçar. Vontade de viver.

E a notícia é: tem tanta vontade em mim que estou voltando. A espera acabou, meus leitores, meus amigos.

Músicas e clipes que fizeram meu 2015

Em 23.12.2015   Arquivado em Música

b0a3043b-3025-43d1-afcd-a53601416078

AIAI, 2015 tá acabando, gente…! Esse ano passou que eu nem vi. Já estamos na época das festividades e de encerramento de um ciclo para começar um novo cheio de promessas e projetos em nossas vidas, seja com relação ao trabalho, a escola, a projetos pessoais…!

E não esqueçamos as retrospectivas da Globo, dos melhores beijos, amassos, tretas, erros de gravação, reportagens, acontecimentos épicos e vá lá mais coisa. E pra não sair do clima, é CLARO, que o Além do Meu Mundo também vai brincar. Porque sim, porque eu quero, pronto e acabou.

EMOJI

Resolvi começar falando de uma das coisas que mais me regem na vida: música. Todo ano tenho músicas e álbuns que fazem a trilha sonora dos meus dias, que às vezes até parecem ter escrito pra mim naquele momento da minha vida, porque sou o umbiguinho do meu mundo, claro. Quero compartilhar com as pessoas tudo o que foi o meu ano resumido tanto em clipes quanto em músicas. Dá só uma checada 🙂

 

Thinking Out Loud – Ed Sheeran

Vamo começar com o clipe/a música que mais me matou. Sei que ambos foram lançados em 2014, mas ainda assim foi uma das músicas mais tocadas em 2015. “Thinking Out Loud” foi até trilha sonora do casal Mari e Benjamin na novela “I Love Paraisópolis” e enlouqueceu muitos corações apaixonados.

O que é esse Ed Sheeran dançando? É uma surpresa pra todo mundo, além de tirar o fôlego e deixar a gente querendo ser essa menina que dança com eleeee T-T

 

Bad Blood – Taylor Swift

Vamo combinar que esse foi um dos clipes mais esperados de 2015 depois que foi mencionado. A Taylor é conhecida por gostar de causar com estilo, e foi um combo de indireta pra ex-amiga Katy Perry plus uma lacração só com todas as amigas divas e sensuais, dentre elas Cara Delevigne, Ellie Goulding e Hayley Williams.

 

Shut Up And Dance – Walk To The Moon

Essa é uma das minhas músicas FA VO RI TAS. Não importa quantas vezes eu escute, eu fico doidinha imaginando a história que se passa através das estrofes. Inclusive, ela faz parte da trilha sonora da minha fic, just saying. 😡

 

Uptown Funk – Bruno Mars ft. Mark Ronson

Eu já amava essa música desde a primeira vez que eu escutei. Desde as batidas, até o clipe, o cenário, TUDO. Mas ouvir essa música em New York é simplesmente sensacional, faz tudo ganhar mais cor ainda. Aliás, eu moro Uptown, então = <3

 

Drag Me Down – One Direction

Pausa. Venho por meio desta confessar que eu nunca fui grande fã de One Direction. Claro que sempre tive minhas músicas favoritas e até conhecia um bom punhado do trabalho deles – além de sempre ter tido aquela queda básica pelo Harry Styles, porque né… Mas esse ano essa boy band me pegou de UM JEITO que não é brincadeira, galere. O CD está simplesmente sensacional e eu estou mais apaixonada pelo Harry e pelos cabelos esvoaçantes dele mais do que NUNCA. Pronto, fa-lei. They can REALLY DRAG ME DOWN com essa música explosiva e toda pá!

 

Ex’s And Oh’s – Elle King

Acabei conhecendo essa música graças à minha amiga Ana, do canal Agora Virei Gringa e eu simplesmente viciei. A voz rouca da Elle me deixa doida e a letra é super engraçada e inusitada (isso sem contar o clipe). Check it out!

 

Sorry – Justin Bieber

Muito que bem, vamos falar de algo muito sério aqui. Muita coisa me surpreendeu esse ano, tanto negativamente quanto positivamente, mas eu preciso dizer que o Justin Bieber, minha gente… Ah, esse sim me surpreendeu muito mais que positivamente. Eu nunca achei que fosse curtir tanto um som dele como eu tenho curtido agora, e não é só uma música, não! Acho que ele amadureceu MUITO como profissional e eu realmente gostei muito do que encontrei no último álbum dele.

“Sorry” é uma música que me faz viajar, refletir e curtir, tudo ao mesmo tempo. E também é a minha música com a Ana aqui em NYC, sem mais <3

PS: como eu não curto o clipe do movimento “purpose”, resolvi compartilhar esse vídeo que fez eu me apaixonar pela música. Não é o Justin cantando, mas num tereça.

 

Sticthes – Shawn Mendes

Esse ano, na verdade, foi o ano do Shawn, né gente? Eu já conhecia um pouquinho do trabalho dele, mas só agora ele representou algo (pelo menos pra mim). Ô menino fofo! Não sei o que eu mais gosto, as músicas dele ou os covers maravilhosos que ele faz. *-*

Quantas vezes eu  danço ouvindo essa música no carro… Só Deus sabe! E o clipe… Simples e pesado são as palavras.

 

Sugar – Maroon 5

Falar de 2015 e não citar Maroon 5 seria quase uma afronta, vamo combinar, né? Que os cds dele são perfeitos do começo ao fim não é nenhuma novidade… Mas é bem difícil eu ouvir um álbum sem querer pular UMA faixa. Então, parabéns, M5 <3

E claro… Eu sou suspeita porque acho os clipes deles super diferentes e inusitados, mas esse, sem SOMBRA DE DÚVIDA, ganhou meu coração. Tinha muitas outras músicas favoritas, então decidi eleger a minha favorita através do clipe.

 

Amei Te Ver – Tiago Iorc

Não estou no Brasil, mas o Brasil continua em mim. Essa música embala meus dias aqui em NYC. Muitas vistas se tornaram ainda mais lindas graças a ela. Confesso que nunca liguei muito pro som do Tiago Iorc, mas nesse ano acho que ele conquistou meu coração, não só com essa faixa, mas também com “Coisa Linda”. Ela, incçusive, estava na lista, mas acabei preferindo “Amei Te Ver” porque… QUE CLIPE DESTRUIDOR COM A BRUNA MARQUEZINE É ESSE?

 

Hello – Adele

Falando em destruição… A mulher SOME e quando reaparece, faz o que? Acaba com todo mundo com essa voz e essa música, né, CLARO. A Adele, gente, não sabe brincar. Quando lança algo é pra ficar em primeiro e cagar na cabeça de todo mundo. Lançou a música no fim do ano e levou um monte de prêmio, dá licençaaaaaa.

Também, né… Essa música fala com todos e mata cada pedacinho da alma de um jeito que só Adele consegue fazer. E o clipe vintage? Curti ainda mais porque eles não tiraram o som ambiente. Deu muito mais emoção.

 

Photograph – Ed Sheeran

Mas é ÓBVIO que o Ed ia aparecer aqui duas vezes. Quem duvidou disso? Se eu pudesse, colocaria que o álbum “X” foi a minha trilha sonora do ano. Se eu falar que cada faixa coube perfeitamente em cada momento pelo qual eu passei em 2015… Aiai.

A primeira vez que ouvi essa música eu estava no ônibus e foi ridículo. Porque eu CHOREI. Ainda bem que estava vazio e ninguém me viu.

Aí não tava bom pro menino Ed me fazer chorar no ônibus… O que ele faz? Lança esse clipe que o quê? Quase me mata. Foi muito conhecer um pouquinho da infância do meu ídolo através de arquivos pessoais. Agora PENSA em quem quase morreu ao assistir o final, em que alguém fala “You’re on the top of the mountain!” e depois aparece o Ed diante de uma multidão? Cho-rei. De. Novo.

 

Style – Taylor Swift

Vai ter Taylor de novo sim, e nem reclama porque a última faixa também é de um artista repetido. Porque eu quero. Porque eu sou maluca. Anyway.

Acompanho o trabalho dessa mulher desde a época country dela (aliás, volta tempoooo). Adoro como ela consegue toda história virar uma boa música, gente. E acho que esse clipe e essa música foram o melhor trabalho dela. Adorei as sobreposições, os detalhes, o filtro… E a música me pegou principalmente pelo jogo de palavras: “We never go out of Style”. Sabemos bem que Styles era esse, né? Não sabe? Vou responder com a música que fechou meu ano e continuará em 2016 por mais um tempão.

 

Perfect – One Diretion

FECHOU ANO. Eu nem precisava escrever nada porque essa música fala por si, né… Mas vou escrever mesmo assim porque ela se tornou a minha FAVORITA no primeiro momento em que escutei. Gostei tanto que me fez querer ouvir o álbum todinho. E adivinha? Viciei nesses meninos bem no hiatos deles (#chateada).

Pra quem não sabe – O QUE EU DUVIDO MUITO –, Harry FINALMENTE respondeu às provocações musicais de Taylor. E respondeu com Style ESTILO. Achei maravilhoso o fato de o refrão ter sido feito propositalmente no mesmo ritmo que Style. Foi a sacada da VIDA.

E não bastasse a música… Pra quem acompanha o Harry no Instagram, sabe que o querido tá numa fase P&B da vida e só posta fotos assim. Achei o clipe bem a cara dele. Adorei o que eu vi. ALIÁS, o clipe foi gravado em um hotel de NYC. Poderia me fazer amar ainda mais isso? Poderia. Porque eu tô num crush nervoso nele, então vocês me aguentem falando.

 

É isso. Ufa, 2015! Nem acabou e continua me matando do coração! Mal posso esperar pela minha trilha sonora MATADORA de 2016! E qual foi a trilha sonora de vocês? <3

Translate »