Músicas e clipes que fizeram meu 2015

Em 23.12.2015   Arquivado em Música

b0a3043b-3025-43d1-afcd-a53601416078

AIAI, 2015 tá acabando, gente…! Esse ano passou que eu nem vi. Já estamos na época das festividades e de encerramento de um ciclo para começar um novo cheio de promessas e projetos em nossas vidas, seja com relação ao trabalho, a escola, a projetos pessoais…!

E não esqueçamos as retrospectivas da Globo, dos melhores beijos, amassos, tretas, erros de gravação, reportagens, acontecimentos épicos e vá lá mais coisa. E pra não sair do clima, é CLARO, que o Além do Meu Mundo também vai brincar. Porque sim, porque eu quero, pronto e acabou.

EMOJI

Resolvi começar falando de uma das coisas que mais me regem na vida: música. Todo ano tenho músicas e álbuns que fazem a trilha sonora dos meus dias, que às vezes até parecem ter escrito pra mim naquele momento da minha vida, porque sou o umbiguinho do meu mundo, claro. Quero compartilhar com as pessoas tudo o que foi o meu ano resumido tanto em clipes quanto em músicas. Dá só uma checada 🙂

 

Thinking Out Loud – Ed Sheeran

Vamo começar com o clipe/a música que mais me matou. Sei que ambos foram lançados em 2014, mas ainda assim foi uma das músicas mais tocadas em 2015. “Thinking Out Loud” foi até trilha sonora do casal Mari e Benjamin na novela “I Love Paraisópolis” e enlouqueceu muitos corações apaixonados.

O que é esse Ed Sheeran dançando? É uma surpresa pra todo mundo, além de tirar o fôlego e deixar a gente querendo ser essa menina que dança com eleeee T-T

 

Bad Blood – Taylor Swift

Vamo combinar que esse foi um dos clipes mais esperados de 2015 depois que foi mencionado. A Taylor é conhecida por gostar de causar com estilo, e foi um combo de indireta pra ex-amiga Katy Perry plus uma lacração só com todas as amigas divas e sensuais, dentre elas Cara Delevigne, Ellie Goulding e Hayley Williams.

 

Shut Up And Dance – Walk To The Moon

Essa é uma das minhas músicas FA VO RI TAS. Não importa quantas vezes eu escute, eu fico doidinha imaginando a história que se passa através das estrofes. Inclusive, ela faz parte da trilha sonora da minha fic, just saying. 😡

 

Uptown Funk – Bruno Mars ft. Mark Ronson

Eu já amava essa música desde a primeira vez que eu escutei. Desde as batidas, até o clipe, o cenário, TUDO. Mas ouvir essa música em New York é simplesmente sensacional, faz tudo ganhar mais cor ainda. Aliás, eu moro Uptown, então = <3

 

Drag Me Down – One Direction

Pausa. Venho por meio desta confessar que eu nunca fui grande fã de One Direction. Claro que sempre tive minhas músicas favoritas e até conhecia um bom punhado do trabalho deles – além de sempre ter tido aquela queda básica pelo Harry Styles, porque né… Mas esse ano essa boy band me pegou de UM JEITO que não é brincadeira, galere. O CD está simplesmente sensacional e eu estou mais apaixonada pelo Harry e pelos cabelos esvoaçantes dele mais do que NUNCA. Pronto, fa-lei. They can REALLY DRAG ME DOWN com essa música explosiva e toda pá!

 

Ex’s And Oh’s – Elle King

Acabei conhecendo essa música graças à minha amiga Ana, do canal Agora Virei Gringa e eu simplesmente viciei. A voz rouca da Elle me deixa doida e a letra é super engraçada e inusitada (isso sem contar o clipe). Check it out!

 

Sorry – Justin Bieber

Muito que bem, vamos falar de algo muito sério aqui. Muita coisa me surpreendeu esse ano, tanto negativamente quanto positivamente, mas eu preciso dizer que o Justin Bieber, minha gente… Ah, esse sim me surpreendeu muito mais que positivamente. Eu nunca achei que fosse curtir tanto um som dele como eu tenho curtido agora, e não é só uma música, não! Acho que ele amadureceu MUITO como profissional e eu realmente gostei muito do que encontrei no último álbum dele.

“Sorry” é uma música que me faz viajar, refletir e curtir, tudo ao mesmo tempo. E também é a minha música com a Ana aqui em NYC, sem mais <3

PS: como eu não curto o clipe do movimento “purpose”, resolvi compartilhar esse vídeo que fez eu me apaixonar pela música. Não é o Justin cantando, mas num tereça.

 

Sticthes – Shawn Mendes

Esse ano, na verdade, foi o ano do Shawn, né gente? Eu já conhecia um pouquinho do trabalho dele, mas só agora ele representou algo (pelo menos pra mim). Ô menino fofo! Não sei o que eu mais gosto, as músicas dele ou os covers maravilhosos que ele faz. *-*

Quantas vezes eu  danço ouvindo essa música no carro… Só Deus sabe! E o clipe… Simples e pesado são as palavras.

 

Sugar – Maroon 5

Falar de 2015 e não citar Maroon 5 seria quase uma afronta, vamo combinar, né? Que os cds dele são perfeitos do começo ao fim não é nenhuma novidade… Mas é bem difícil eu ouvir um álbum sem querer pular UMA faixa. Então, parabéns, M5 <3

E claro… Eu sou suspeita porque acho os clipes deles super diferentes e inusitados, mas esse, sem SOMBRA DE DÚVIDA, ganhou meu coração. Tinha muitas outras músicas favoritas, então decidi eleger a minha favorita através do clipe.

 

Amei Te Ver – Tiago Iorc

Não estou no Brasil, mas o Brasil continua em mim. Essa música embala meus dias aqui em NYC. Muitas vistas se tornaram ainda mais lindas graças a ela. Confesso que nunca liguei muito pro som do Tiago Iorc, mas nesse ano acho que ele conquistou meu coração, não só com essa faixa, mas também com “Coisa Linda”. Ela, incçusive, estava na lista, mas acabei preferindo “Amei Te Ver” porque… QUE CLIPE DESTRUIDOR COM A BRUNA MARQUEZINE É ESSE?

 

Hello – Adele

Falando em destruição… A mulher SOME e quando reaparece, faz o que? Acaba com todo mundo com essa voz e essa música, né, CLARO. A Adele, gente, não sabe brincar. Quando lança algo é pra ficar em primeiro e cagar na cabeça de todo mundo. Lançou a música no fim do ano e levou um monte de prêmio, dá licençaaaaaa.

Também, né… Essa música fala com todos e mata cada pedacinho da alma de um jeito que só Adele consegue fazer. E o clipe vintage? Curti ainda mais porque eles não tiraram o som ambiente. Deu muito mais emoção.

 

Photograph – Ed Sheeran

Mas é ÓBVIO que o Ed ia aparecer aqui duas vezes. Quem duvidou disso? Se eu pudesse, colocaria que o álbum “X” foi a minha trilha sonora do ano. Se eu falar que cada faixa coube perfeitamente em cada momento pelo qual eu passei em 2015… Aiai.

A primeira vez que ouvi essa música eu estava no ônibus e foi ridículo. Porque eu CHOREI. Ainda bem que estava vazio e ninguém me viu.

Aí não tava bom pro menino Ed me fazer chorar no ônibus… O que ele faz? Lança esse clipe que o quê? Quase me mata. Foi muito conhecer um pouquinho da infância do meu ídolo através de arquivos pessoais. Agora PENSA em quem quase morreu ao assistir o final, em que alguém fala “You’re on the top of the mountain!” e depois aparece o Ed diante de uma multidão? Cho-rei. De. Novo.

 

Style – Taylor Swift

Vai ter Taylor de novo sim, e nem reclama porque a última faixa também é de um artista repetido. Porque eu quero. Porque eu sou maluca. Anyway.

Acompanho o trabalho dessa mulher desde a época country dela (aliás, volta tempoooo). Adoro como ela consegue toda história virar uma boa música, gente. E acho que esse clipe e essa música foram o melhor trabalho dela. Adorei as sobreposições, os detalhes, o filtro… E a música me pegou principalmente pelo jogo de palavras: “We never go out of Style”. Sabemos bem que Styles era esse, né? Não sabe? Vou responder com a música que fechou meu ano e continuará em 2016 por mais um tempão.

 

Perfect – One Diretion

FECHOU ANO. Eu nem precisava escrever nada porque essa música fala por si, né… Mas vou escrever mesmo assim porque ela se tornou a minha FAVORITA no primeiro momento em que escutei. Gostei tanto que me fez querer ouvir o álbum todinho. E adivinha? Viciei nesses meninos bem no hiatos deles (#chateada).

Pra quem não sabe – O QUE EU DUVIDO MUITO –, Harry FINALMENTE respondeu às provocações musicais de Taylor. E respondeu com Style ESTILO. Achei maravilhoso o fato de o refrão ter sido feito propositalmente no mesmo ritmo que Style. Foi a sacada da VIDA.

E não bastasse a música… Pra quem acompanha o Harry no Instagram, sabe que o querido tá numa fase P&B da vida e só posta fotos assim. Achei o clipe bem a cara dele. Adorei o que eu vi. ALIÁS, o clipe foi gravado em um hotel de NYC. Poderia me fazer amar ainda mais isso? Poderia. Porque eu tô num crush nervoso nele, então vocês me aguentem falando.

 

É isso. Ufa, 2015! Nem acabou e continua me matando do coração! Mal posso esperar pela minha trilha sonora MATADORA de 2016! E qual foi a trilha sonora de vocês? <3

Ponte

Em 12.10.2015   Arquivado em Crônicas

Ponte

This Love – Taylor Swift (Cover by Melanie Ungar)

Eu só fui. Acho que é uma daquelas coisas que você tem que fazer sem pensar nas consequências, sabe? Algumas coisas simplesmente acontecem.

E eu fiz. Liguei pra um cara com quem conversei uma única vez porque simplesmente precisava de alguém que pudesse estar comigo em uma terça-feira fria típica de uma noite de outono em New York.

E o mais maluco foi vê-lo chegar enquanto eu estava sentada no banco no qual conversamos por acaso em uma outra noite sem sentido na Brooklyn Bridge. E aquela era apenas mais uma noite sem sentido.

Pelo menos foi o que eu finalmente concluí quando ele parou de pé ao lado do banco. Jaqueta de couro e calça jeans. Sneakers da Nike nos pés. Também tinha um cachecol desajeitado no pescoço. As mãos estavam nos bolsos enquanto ele me encarava quase que eternamente.

Eu o encarei de volta e fiquei pensando no que o havia feito ir até lá. Nós nem éramos amigos! É verdade que tínhamos algumas aulas juntos na New York University, mas não é como se isso significasse algo já que nem nos falávamos. Pelo menos até aquela noite maluca em que acabamos conversando depois de fugir de uma festa em que a polícia acabou aparecendo.

E quando eu finalmente analisei toda a situação e comecei a considerar a me jogar da ponte por ter feito a besteira de ter ligado e me sentir a pessoa mais idiota do mundo, ele se jogou ao meu lado, se esparramando no banco e deixando as pernas bem relaxadas enquanto fingia que não via o caminho que as lágrimas secas fizeram no meu rosto.

O engraçado é que eu poderia ter ligado pra qualquer pessoa. Qualquer mesmo. Tenho certeza que qualquer uma das minhas amigas teriam vindo no mesmo momento. O problema é que quando eu destravei o meu celular e deslizei o dedo pela minha lista de contatos o primeiro nome que meus olhos encontraram foi o dele: Dylan.

Quer dizer… Ele é um cara legal. Pelo menos foi o que me pareceu quando estávamos conversando daquela vez. E eu posso afirmar isso com certeza – já eu não havia bebido naquela noite porque aquela era a vez da minha amiga encher a cara e eu ser a responsável da vez. E ele não havia bebido porque… Simplesmente não sei o por quê.

Ele suspirou enquanto passava a encarar o rio East, que de noite parecia um grande tapete escuro refletindo as luzes que Manhattan emitia imponentemente do outro lado da ponte. Eu estava esperando que ele dissesse alguma coisa. Qualquer coisa. Mas a única coisa que ele fez foi molhar os lábios algumas vezes.

E aquilo meio que me irritou, sei lá.

– Não vai dizer nada? – perguntei tentando fazer com que a minha voz não soasse trêmula.

– Eu deveria? – ele respondeu com outra pergunta, dando um sorriso torto. Continuou a encarar o rio.

– Sei lá… Eu te fiz sair do dormitório dez e meia da noite em uma terça-feira fria pra vir até a Brooklyn Bridge. – ele finalmente me encarou franzindo a testa. – Qual é… Não é algo que uma pessoa faria normalmente. Quer dizer… Nós nem somos amigos.

Ele riu fraco.

– É… Confesso que achei estranho. Mas e daí?

– Você não tinha algo melhor pra fazer, né?

– Eu poderia estar jogando videogame agora. Ou dormindo.

Dessa vez fui eu quem riu fracamente.

– E não vai me perguntar o por quê disso tudo?

– Você esteve chorando. – ele pontuou rapidamente. Encolheu o corpo quando sentiu um vento mais cortante passar por nós. Eu fiz o mesmo.

Assenti em resposta e ele não disse nada.

– Não vai perguntar o que houve?

– Não sei se é algo que você realmente quer que eu faça. Já teria me contado antes se quisesse. – era verdade. – Você só precisava estar com alguém, não é? – aquilo me fez ficar em silêncio porque não sabia que resposta dar sem parecer uma garota idiota. – E eu estou aqui.

Nesse momento percebi que estávamos nos encarando. Meus olhos estudaram a expressão simples e amena que ele carregava. Ele sempre a tinha no rosto. Era como se nada fosse capaz de tirá-lo do sério. Era como se ele fosse capaz de lidar com qualquer coisa. E naquele minuto eu concluí que talvez esse fosse um dos motivos que me fez ligar pra ele.

Aquilo me fez questionar o por quê de eu nunca ter falado com ele antes daquela noite. Ele simplesmente esteve ali naquela noite, e tenho que confessar, foi divertido. Era como se nos conhecêssemos a vida toda. A verdade é que ele esteve durante todo aquele tempo… E agora ele estava aqui comigo sem cobrar qualquer explicação prudente.

Eu poderia ter agradecido. Eu poderia ter continuado aquela conversa. Poderia até mesmo contar o por quê de tudo aquilo. Mas tudo o que eu fiz foi depositar a minha cabeça no ombro dele.

Eu precisava. Ele estava lá. E as coisas… Elas simplesmente acontecem.

 

New York: Madame Tussauds

Em 07.10.2015   Arquivado em Por aí

Madamee

Quem quer socar a Nats porque ela não postou mais levanta a mão! \o/

A desculpa de que a “vida tá corrida” pode parecer clichê, mas o pior é que é, minha gente. Mas não vou falar algo que vocês já estão cansados de ler, vou mostrar o que de bão eu tenho feito.

Há uma semana fui no Madame Tussauds. Se não sabe o que é, não tem problema, porque a tia Nats conta tudo! É um museu com bonecos de cera com coleção de figuras de celebridades. A sede principal fica em Londres, mas também existem 13 outras filiais em New York, Washington, D.C., Las Vegas, Los Angeles -Hollywood, Berlim, Amesterdam, Hong Kong, Xangai, Blackpool, Sydney, Viena, Banguecoque, Orlando e Tóquio.

O Além do Meu Mundo deu aquela curtida básica no lugar, né. Vamos ver como foi? Se divirtam com as minhas legendas, uma beija.

Atenção, os bonecos são bem reais (pelo menos a maioria deles).

IMG_0108

IMG_0109

Eu e a best da Allie, do blog Lovecats

IMG_0113

É nóis, Pharrel

IMG_0120

Tentando bancar a donzela

IMG_0122 IMG_0123 IMG_0124 IMG_0125

IMG_0127 IMG_0131

A diva Ana, do vlog Agora Virei Gringa e nossa amiga alemã Diana, A.K.A. Kim Kardashian <3

IMG_0134 IMG_0137

Tentando ser amiga da Angelina Jolie

IMG_0147

Seduzindo com o Taylor Lautner

Sem risadinha, Johnny

IMG_0153

Super Vampire Diaries

IMG_0154

Dispensa legenda HAHAHAHA

IMG_0164 IMG_0166 IMG_0171 IMG_0176

Vai, Katniss

IMG_0187

Ai, Fallon. Muito gente boa

IMG_0189 IMG_0190

Pra quem achou que eu estava na pior… Já tenho meu próprio programa, flw vlw

IMG_0198

Nats sendo idiota Nats

IMG_0204 IMG_0205 IMG_0209

Como primeiro ato sendo presidente dos Estados Unidos declaro que não precisa mais de visto, PODE VIR GALERE

IMG_0213 IMG_0216 IMG_0220 IMG_0230 IMG_0236 IMG_0238

A quinta Beatle <3

IMG_0243

Ai, Elvis!

IMG_0250

Me humilhando

IMG_0253 IMG_0256 IMG_0257 IMG_0258 IMG_0260

IMG_0262

<3

IMG_0264 IMG_0265 IMG_0268 IMG_0284

IMG_0270 IMG_0277 IMG_0278 IMG_0288 IMG_0291

PAUSA DRAMÁTICA

IMG_0294

Amor à primeira vista

IMG_0297

Tchau, gente. Casei! Tô indo pra Londres <3

IMG_0307

Sendo Ryca e famosa

IMG_0302

FECHAMOS COM CHAVE DE OURO. Cada coisa que SELENA internet, né, Ana?

Todo mundo sabe, menos eu

Em 06.07.2015   Arquivado em Off topic

TodoMundoSabeMenosEuDiv

Galere do meu Brasél, encontrei essa tag por aí, livre, leve e solta, dando sopa nas redes da vida, e eu gostei muito! Gostei tanto que decidi, por mim mesma, sozinha na vida, fazê-la. Riririri

Tem muita coisa no mundo que eu não sei fazer, mas tem algumas em específico que eu sinto que TODO MUNDO NO UNIVERSO, sabe fazer, menos a minha pessoa.

Ó, só!

 

Pregar botão

botão

Eu não sei se isso é uma coisa simples e se é uma vergonha não saber fazê-lo, mas taí. Não sou muito fã de corte e costura. A última vez que tentei costurar uma roupinha pra boneca que eu mesma tinha desenhado… Ficou ó… Uma bosta Sem comentários. Aí nunca mais me arrisquei. Tenho algumas roupas aqui em casa que algum botão caiu. Pergunta se eu tento arrumar? NAH. Tá lá encostada, até o dia em que eu levar pra minha tia ou pra minha vizinha pregar de volta.

 

Arrumar a hora e a data de relógios digitais

relógio

Me dá até vontade de chorar só de pensar nisso. Me irrito demais toda vez que tento, não adianta. Parece que tem um código secreto pra dificultar uma coisa que parece SUPER SIMPLES. Alguém sempre acaba arrumando esse tipo de coisa pra mim. Se não, fica do jeito que veio. ~cry~

 

Fazer bolo

bolo

É a verdade mais verdadeirosa da minha vida até o momento. Confesso que tenho me aventurado mais na cozinha nos últimos tempos, mas nunca fiz um bolo certo, gente. Não sem a ajuda ou supervisão de alguém. Nem do tipo simples, muito menos do tipo recheado, com trezentas mil coberturas e desenhos a lá master chef. Mas pinky promise que logo eu vou resolver esse problema na minha vida!

 

Mexer no Photoshop

photoshop

A cada dia que passa eu tenho mais certeza de que eu sou a ÚNICA que não sabe mexer no Photoshop nesse mundo, cara. E isso me frustra DEMAIS. Tenho tantas ideias legais pra colocar nos posts, mas a falta dessa habilidade acaba causando um certo desfalque aqui. Fazer um curso massa está na minha lista de prioridades.

 

Chutar a resposta certa

teste

Isso foi a minha vida toda. Cara, sempre tive o DOM de chutar a resposta errada. E acho que o pior sentimento de todos é quando a pergunta é besta e a resposta é tão óbvia, que você ainda acaba errando. Sim, essa era/sou eu. Eu com certeza teria perdido tudo no Show do Milhão. L

 

Fazer trança

trança

É, não sei mesmo. Nem simples, nem trabalhada. Nem em mim, nem nos outros. Primeiro que eu descobri que eu fazia a trança ao contrário. Em vez de trançar as mechas para dentro, eu trançava para fora. E TODA vez que eu faço, ela fica toda mole e desengonçada, torta. Espero que quando eu for mãe, isso mude. Tenho a impressão que mulheres adquirem novas habilidades ao se tornarem mães!

 

Dobrar a língua

dobrar a língua

Pode parecer tosco, mas não ter a habilidade de dobrar a língua já me fez sofrer muito bullying e ser piada na família, ok? Por isso é uma frustração MUITO grande. Já ouvi muito que é questão de genética, então fico pensando que a culpa é do meu pai, porque minha mãe sabe dobrar a língua e ele não.

Já perdi as contas que quanto tempo já perdi na frente do espelho fazendo cara de idiota, tentando dobrar a porcaria da língua. CHATEADÍSSIMA.

 

Tirar a própria cutícula

cutícula

Admiro muito as pessoas que sabem tirar a própria cutícula, cara. Porque pra mim isso é algo de outro mundo. A minha sorte é que tenho pouquíssima cutícula, então ela nem aparece, porque senão… HUNF. Aliás, não sei tirar nem a minha própria cutícula, nem a de ninguém.

 

Bom, esse foi o meu momento frustração. Alguém aí também passa por esse tipo de coisa? Quer desabafar a sua falta de habilidade/conhecimento para fazer alguma coisa? Sintam-se à vontade! <3

Os melhores covers

Em 29.05.2015   Arquivado em Música

covers

Como eu já disse num outro post, sou fãzona de covers. Adoro gente que se joga, arrisca as fichas e às vezes acaba até “refazendo” a música, de tão diferente que fica da original. Confesso que muitas eu prefiro até o cover, pessoal. Ou nova versão, chamem do que vocês quiserem.

Então, pensei em trazer os covers mais super hiper mega ultra plus advanced que euzinha mais gosto!

Dá o play, Macaco! ~TV Cruj feelings~

 

Boyce Avenue feat. Bea Miller – We Can’t Stop (Miley Cyrus)

Bom, começamos a brincadeira da cadeira com o rei dos reis dos covers. Todo mundo que se preze conhece Boyce Avenue (né? Diz que sim!). O cara inova até dizer “para”, galere. E esse cover da música da Miley, em especial, eu amo barra sou.

 

Miley Cyrus – Jolene (Dolly Parton)

E falando da Miley Smiley… Que cover é esse, menina?! Não canso dessa música, não adianta, cara. Porque assim… Pode falar o que quiser da Miley, que ela é polêmica, e blablabla, mas é INEGÁVEL o talento dela. Que VOZ! Palmas, palmas, palmas!

 

Ed Sheeran – Dirrty (Christina Aguilera)

Ai. Sei que sou suspeita, sou mesmo. Porque sou completamente apaixonada por esse ruivo, e eu amo todos os covers que ele faz. Mas essa versão ficou incrível, gente. Eu adoro como o Ed muda o tom da voz dele várias vezes numa mesma música. Não sei qual o nome dessa técnica, mas sei que é MUITO difícil. Fora essa rouquidão (técnica: drive) que ele manja. E os backing vocals e o tecladinho foram muito a mais, wow, sério.

 

John Mayer – XO (Beyoncé)

Acho que já mencionei que eu amo essa versão no post das músicas que escuto para escrever, lembram? E você vai repetir, Nats?  VOU SIM, porque coisa boa a gente repete. Essa música NASCEU pro John. Fãs de Beyoncé que não me matem.

 

Alex Goot, Kurt Schneider & Chrissy Costanza – Counting Stars (OneRepublic)

Acho que foi a melhor parceria de cover EVER, que isso, novinha. O sintetizador deu outra cara pra música, sem dúvida. E não sei se vocês vão concordar comigo, mas em ALGUNS momentos da música, o Alex Goot lembra muito o Nick Jonas cantando! Sem contar a parte em que falo que ADORO duetos de casal, FA-LEI de novo.

 

Louisa Wendorff & Devin Dawson – Blank Space/Style (Taylor Swift)

Simplesmente nunca vi um mashup tão bem feito como esse, de verdade. Louisa juntou duas músicas ótimas da Tay e ainda contou com a participação de outro fera da parada: Devin!

Tem que ser muito ninja pra conseguir tocar num ritmo para que duas músicas tão diferentes entrem em harmonia! E mais ninja ainda pra conseguir cantar uma letra diferente do seu parceiro sem se enrolar!

 

Chester See Feat. Tiffany Alvord – The One That Got Away (Katy Perry)

Já que é pra falar de duetos de casal, OMFG… Eu até achei que esses dois namoravam de TÃO FOFOS! Já viu um ser que shippa dueto de casal? Não? Aqui tem um que vos fala. Adorei como eles dividiram as partes, e como a música parece ter sido feita assim, como se um falasse do outro. Cute!

 

Pentatonix e Lindsey Stirling – Radioactive (Imagine Dragons)

É uma regra OBRIGATÓRIA. Se falar de cover, DEVE-SE falar de Pentatonix. O grupo arrebenta no beat box, na improvisação com técnicas de coral e tudo o que tem direito. Aí eles vêm e fazem um vídeo com QUEM? A manjadora dos violinos, Lindsey. Resultado = arregaçaram.

 

Kurt Hugo Schneider ft. Macy Kate and Tyler Ward – Story of My Life (One Direction)

Conheci o Kurt meio que sem querer e me apaixonei logo de cara. Primeiro que ele traz uma maneira diferente e mais dinâmica de gravar os covers na questão de edição, mesmo. E não é apenas nesse vídeo. Achei um toque especial, não sei.

Aí ele vem e me coloca uma voz feminina pra cantar num dueto, gente. Nem amo duetos, né?

 

Sofia Karlberg – Crazy In Love (Beyoncé)

Primeiro que eu sempre fui DOENTE por essa música. Segundo que a versão que a própria Queen B fez para o filme “50 Shades of Grey” já tinha me conquistado (NÃO, eu não assisti esse filme!). Aí vem a Sofia, que é uma das melhores youtubers que eu conheço, e faz esse cover MA-RA-VI-LHO-SO. Não dá, gente. Assistam vocês mesmos, e entenderão do que eu tô falando.

 

Connie Talbot – The Climb (Miley Cyrus)

E por último, mas não menos incrível, a pequena Connie! Quem não se emocionou com essa coisa linda que arrancou lágrimas dos jurados do Britain’s Got Talent quando tinha apenas seis aninhos de idade? (Se você não sabe do que eu tô falando, faz a discreta e acessa esse vídeo fofo). Hoje a Connie tem 14 anos e mostra que o talento cresceu junto com ela. Achei esse cover bem fiel a música da Miley!

E aí? Fiz boa uma seleção? Posso ser um jurado do X Factor? #SQN

Conta qual foi o favorito de vocês! Ou melhor: sugeriram covers bem legais e eu faço uma parte 2, que tal, que tal? <3

 

Booyah!

Translate »