O que mais gosto em NYC

Em 27.06.2016   Arquivado em Por aí

NYCpostt

Eu realmente tenho tido uma imensa dificuldade para produzir conteúdo para o blog. E nem vou dizer que o motivo principal é a falta de ideias. Quem acompanha o Além do Meu Mundo sabe que ando numa fase maledita que se chama falta de vergonha na cara inspiração.

Venho conversando com bastante gente a respeito (não tanto quanto gostaria), e apesar de ser meio óbvio, uma pessoa me sugeriu escrever sobre algo do qual eu realmente esteja gostando no momento. Ler e escrever, que são minhas maiores paixões, estão um pouquinho de lado nas minhas prioridades. Mas se tem uma coisa que eu realmente estou amando de paixão paixão… É New York.

Estou aqui há 9 fuckin’ meses e essa cidade ainda consegue fazer eu me apaixonar cada vez mais por ela. ENTÃO decidi fazer um post fofico dedicado ao meu segundo e eterno lar e falar as coisas que eu mais gosto em NYC!

Metrô 24 horas

Acho que o sonho de todo paulista é que o transporte metroviário de São Paulo um dia seja 24 horas. E eu não tiro a razão. Isso definitivamente é a melhor coisa do mundo (pra não mencionar o fato de que você realmente pode ir pra QUALQUER lugar de NYC usando o metrô, porque tem em qualquer canto).

É claro que não é a coisa mais limpa do mundo, mas funciona muito bem, obrigada (exceto nos finais de semana, quando inventam de fazer manutenção em alguma linha e cagam seu rolê. Mesmo assim, os bonitos oferecem shuttle de graça e fazem caminhos alternativos para você chegar ao seu destino. É ou não é uma coisa linda de se ver?).

 

Segurança

segurança

Apesar dos americanos ainda serem muito pirados com relação à segurança e muitos ainda considerarem NYC uma cidade perigosa, eu preciso dizer que me sinto muito mais segura aqui do que em qualquer outro lugar que já estive no Brasil.

Quer dizer… Incontáveis são as vezes que saio para partyear e volto na madruga boladona sem medo ALGUM de andar sozinha na rua, com o celular na mão e tudo. Isso que as ruas residenciais são muito mal iluminadas. No começo eu parecia uma louca correndo até chegar em casa. Depois percebi que nunca estive tão segura em toda a minha vida!

É CLARO que não estou dizendo que não existe violência aqui, calmem lá! E também não é bom ficar dando sorte pro azar. Mas né!

 

Sale é sale de verdade

Cheguei em mais um assunto polêmico, né?

Agora eu entendo porque é tão difícil guardar dinheiro aqui, minha gente. Eu sempre tive facilidade e sempre soube me conter quando precisava maneirar nos gastos. Mas aqui eu confesso que o buraco é bem mais embaixo. Como dizer não a um vestido super gracinha da F21 que está $4.90? Ou um não ainda maior a um par de tênis maravilindo da H&M por $14? Não. Consigo. Lidar.

 

Night Clubs

Chegamos num tópico importantíssimo aqui. E isso se dá pelo fato de que no Brasil eu nunca liguei muito de ir pra balada. Mas aqui a coisa é totalmente insana e extremamente acessível ao nosso bolso. É hora do sexo feminino segurar a marimba, porque mulher entra e consome de graça. Sim, você não leu errado. Nem precisa passar os olhos duas vezes na mesma sentença. Basta você entrar em contato com o promoter da festa que você quer ir (o que é a coisa mais fácil do mundo, já que o que mais tem em NYC é promoter querendo levar você pra festa deles). E não precisa nem fazer bico, porque os homens pagam, mas nem é tanto assim (quer dizer, depende da balada), mas a consumação também é à vonts, sem limites!

Vale tanto à pena partyear que tem que tomar cuidado pra não viciar nessa vida. AH, e pra quem sempre sonhou em fazer uma Limo Ride (passeio de limusine), chora, porque por $25 você enche a cara passeando por Manhattan!

Aqui o glamour é certo, bee!

 

Rooftops

Apesar dos rooftops (telhados) serem conhecidos apenas por abrigar muitas das baladas de NYC, não é só pra isso que eles servem, não! Eu sempre fui apaixonada por esses lugarezinhos no meio da cidade quando via os filmes que tinham NYC como cenário. Porque parece um universo a parte daquela loucura que é a cidade grande. Muitos bares também possuem áreas em rooftops e são maravilhosos. Aliás, até os hotéis que recebem as festas, de dia costumam receber pessoas apenas para um “hang out”. Ir a um rooftop é decididamente uma das minhas atividades favoritas aqui. E o principal motivo disso é a vista. Um dos meus rooftops prediletos é o Le Bain. Só tive a oportunidade de ir até lá de noite, mas mal posso esperar para ir de dia, agora que o verão está chegando!

Le-Bain

Parques

CentralPark

Não achou que eu ia falar de NYC sem citar o que os new yorkers mais apreciam depois de um bom café, não é mesmo? (Aliás… Se puderem tomar café no parque, só faltam vomitar arco-íris). Como new yorker bixete que sou, desenvolvi um certo gosto por parques que nunca tive no Brasil. Guardo momentos memoráveis no parques Ibirapuera e Trianon, mas acho que quando eu voltar saberei aproveitar esses passeios.

É realmente uma delícia correr para um refúgio como o Central Park, Van Cortlandt Park ou o Wave Hill. Parques e árvores espelhados no meio do caos da selva de pedra são a salvação, pode acreditar.

 

Diners

Quer pagar uma miséria e comer que nem um boi? Seu lugar é o diner. Perfeito para quem está voltando daquela baladinha, sabe? (Quem lê parece que eu sou a rata das discotecas, sqn). Quando tô querendo salvar grana (leia-se sempre), me acabo em um diner. E engana-se se acha que a comida lá é ruim. Muito pelo contrário! Ainda tem o plus de se sentir naqueles filmes americanos em que toda a galera se reunia sempre no mesmo bar, sabe sabe? <3

 

Dunkin’ Donuts

Ok, Dunkin’ Donuts é uma coisa que tem em todo lugar dos USA. Assim como os Diners. Assim como quase todos os tópicos do post. Mas vale frisar que essa é a minha visão morando em NYC, então eu ganhei, pronto e acabou. (aquelas).

Bom, para quem não sabe, o Dunkin’ Donuts é uma franquia de cafés concorrente do Starbucks que, como o próprio nome já diz, tem o diferencial da venda de quê? Donuts, 10 pontos pra Grifinória. E devo dizer que é bem páreo para o nosso queridinho que faz o maior sucesso em SP. Tem muita coisa que eu prefiro muito mais do DD do que do Starbucks, porque você tem uma variedade maior de comes e não só bebes. Meu favorito é o grilled cheese. Nem tem nada demais, mas né… E o que é o Frozen Dunkaccino? É bem parecido com os famosos frappuccinos do Starbucks. Perdição, apenas.

 

A cidade que nunca dorme. MESMO!

NYC

A cidade realmente faz jus à nomenclatura! Se tem uma coisa que não tem como acontecer, é ficar entediado em NYC (eu fico às vezes porque sou chata e meio forever alone, mas ignora). Você SEMPRE vai ter o que fazer por aqui. Sempre tem uma festa, uma exposição, um evento, um acontecimento, um show, uma peça de teatro…! Essa cidade tem tantos atrativos que realmente, só fica em casa quem quer. E nem vem com essa de “ah, mas tô sem dinheiro”. Dinheiro aqui muito raramente é o problema. Balada é de graça, evento é de graça…!

 

Já deu pra entender porque eu AMO esse lugar, né?

NYCpost2

E aí? O que achou do post sobre a minha Big Apple? E você que já deu o ar da graça na cidade? Acha que esqueci de mencionar alguma coisa? Pode colocar tudo ali na caixinha de Pandora! <3

Sampa Tour: Museu Catavento

Em 01.08.2015   Arquivado em Por aí

DivMuseuCatavento

Primeiro de tudo, MIL DESCULPAS, pessoas da minha vida! Tinha prometido esse post há trezentos anos, mas por motivos de: (1) também sou filha de Deus; (2) tenho probleminhas pra resolver e (3) não conseguir fazer o post. Porém, estou buscando redenção e o perdão de vocês trazendo tudindin agora! <3

Bom, como explicado no primeiro post, inaugurei uma nova série de posts chamada Sampa Tour, onde vou postar dicas de rolês legais pra quem mora em São Paulo ou vier para cá a passeio. E essas dicas serão de acordo com os rolês que eu mesma estou realizando, parte de um projeto pessoal meu.

No mesmo dia em que fui ao Edifício Martinelli, aproveitei o caminho e fui parar no Museu Catavento.

O Catavento é um museu totalmente interativo dedicado aos conhecimentos científicos que funciona desde 2009. O espaço em que é abrigado é o antigo Palácio das Indústrias, que foi construído em 1911 e inaugurado apenas em 1924. Em 1992, passou a ser a sede da Prefeitura de São Paulo.

O museu é dividido em 4 espaços: universo, vida, engenho e sociedade. Cada instalação tem várias atividades que ensinam de maneira criativa, desde teorias físicas e químicas até os biomas, o universo, e todo o funcionamento do corpo humano, além da vida marinha e tudo mais o que vier nas suas cabecinhas.

Na área do universo, vocês poderão saber sobre a vida das estrelas, além poder conhecer as mais famosas, observar galáxias, constelações… Ou até mesmo tocar em um meteorito de verdade que deixa a sua mão com cheiro de metal!

Depois, no espaço da vida, vocês vão saber tudo sobre a biodiversidade do planeta, bem como uma mega aula sobre relevos e plantações, só que de uma forma mais divertida: uma maquete gigante que exemplifica cada coisinha! AH, também não podemos esquecer a passagem dos dinossauros no planeta e a evolução humana. Hora de aprender todas as funções do corpo humano AQUI. *-*

Em engenho, vocês finalmente se sentirão num laboratório, onde poderão testar cada coisa daquelas aulas de física que vocês nunca entendiam. Quem dera eu tivesse tido a oportunidade de ter vindo na época da escola. Muita coisa teria me ajudado de uma forma mais interessante! Acredita que você consegue levantar 100 kg adicionando uma ferramenta boba junto com uma corda? Pois é! Já se imaginou dentro de uma bolha de sabão? Eu estive em uma! E sobre um choque em corrente com mais algumas pessoinhas? Passei por essa experiência também!

E finalmente, na área da sociedade, dá pra conhecer um pouquinho das maravilhas da Terra, um pouquinho de história do Brasil com uma escalada interativa e um laboratório de química e física!

Ufa, acabou! Mentira, agora é hora das fotchenhas!

IMG_9618

1 (2) 1 (3) 1 (4) 1 (5) 1 (6) 1 (7)

PS.1: Sabe aquele pontinho marcado? É o nossa sistema no meio dessa nossa pequena galáxia que fica nesse universão!

1 (8) 1 (9) 1 (10) 1 (11) 1 (12)

1 (13)1 (14)

PS.2: Eu e o bf dentro das bolhas de sabão! *-*

1 (15) 1 (16) 1 (17)

PS.3: Qualidade ruinzinha, mas queria mostrar a escalada histórica 🙁

1 (18) 1 (19)

PS.4: Eu tava louca pra ir nesse Borboletário, mas ele ainda não inaugurou. Cry!

Pois então, esse foi meu segundo passeio baratchenho que SUPER indico. Sério, pessoas. R$ 6,00 a inteira e R$ 3,00 a meia. Dá pra vir e se divertir demais. É ou não é?

 

Quem ficou interessado, dá uma acessadinha básica no site do museu pra se informar melhor!

Achei esse vídeo no próprio portal deles e achei bem legal pra dar uma palhinha do local! A gravação não é da melhor qualidade, mas acho que dá pra ter uma ideia do que esse lugar fantástico!

E AÍÍ, o que acharam? Gentem, ainda tô me acostumando a tirar foto de tudo, então esqueci de tirar MUITA foto, porque esqueço que não é só um passeio, e sim um registro! E prometo que com o passar do tempo, as fotos terão qualidade e enquadramento melhor, tá? A tia Nats tá enferrujada com essas coisas.

 

Aguardem o próximo episódio do Sampa Tour! <3

Sampa Tour: Edifício Martinelli

Em 30.06.2015   Arquivado em Por aí

DivEdificioMartinelli

Olá, pessoar!

Hoje resolvi dividir um pouquinho dos rolês que venho fazendo. Esse ano eu e meu namorado decidimos fazer um Sampa Tour. Oi?

É. Nós moramos em São Bernardo do Campo, a 40 minutos de São Paulo, o que significa que estamos mas não estamos em São Paulo. Em 40 minutos nós também chegamos a muitos lugares em São Bernardo, pois a cidade aqui é grande. Sei que não é, mas nos sentimos parte da cidade de São Paulo porque a distância é mínima.

Enfim, a coisa é o seguinte… Assim como metade do universo, queremos conhecer vários países, rodar o mundo, aquela coisa toda. Mas nos veio a seguinte questão: Como queremos conhecer o mundo se não conhecemos nem a nossa cidade direito? Pois é! Por isso, decidimos que realizaríamos um tour de mais ou menos 30 lugares diferentes para conhecermos em São Paulo. E ADIVINHA! Vai ter tudo documentado no brógui, porque sim!

Explicada a bagaça, vou apresentar o nosso primeiro rolê do “Sampa Tour”: Edifício Martinelli.

A foto que tirei da fachada não ficou legal, então decidi usar essa pra vocês verem melhor. Créditos: José Cordeiro / SPTURIS.

A foto que tirei da fachada não ficou legal, então decidi usar essa pra vocês verem melhor. Créditos: José Cordeiro / SPTURIS.

Vou resumir um pouquinho da história do prédio porque né…

Em 1889, o italiano Giuseppe Martinelli imigrou para o Brasil, com um sonho muito comum entre todos os imigrantes que chegavam aqui: prosperar. Em pouco mais de duas décadas ele construiu um bom império.

O Comendador Martinelli simplesmente se apaixonou por São Paulo e viu na cidade um futuro, e para deixar a sua marca, decidiu erguer o Edifício Martinelli, o arranha-céu mais alto da América do Sul.

Foi uma polêmica, na época, pois São Paulo não havia nenhum prédio daquele tamanho todo. Os prédios da cidade tinham, no máximo, 5 andares. Martinelli alcançou 25 andares. Não satisfeito e incomodado com os boatos de que a construção cederia, decidiu construir sua própria mansão EM CIMA DO PRÉDIO, aumentando em mais CINCO andares. Tudo isso para provar que o prédio não iria abaixo.

O prédio já passou por altos e baixos, quase foi demolido, virou cortiço, foi cenário de crimes, prostituição e assassinatos. Depois de muita degradação, foi restaurado e aberto para visitação, além de abrigar algumas repartições públicas. Se quiser saber mais sobre a história, clique aqui. O Edifício Martinelli também possui várias lendas, entre elas a de ser mal-assombrado. Se quiser saber sobre isso, clique aqui.

Agora, chega de papo e vamos às fotos! <3

IMG_9508 IMG_9608 IMG_9611

IMG_9535 IMG_9604

 IMG_9526 IMG_9541 IMG_9543 IMG_9564

IMG_9517

IMG_9510

IMG_9585

E aí? O que acharam da história? E as fotos? Não somos fotógrafos, mas tentamos! Nesse mesmo dia fizemos um outro rolê, no Museu Catavento. Clique aqui para ver tudo o que rolou! <3

Projeto 6 on 6: Por Onde Andei…

Em 06.06.2015   Arquivado em Inspiração

DivAndei

Felizona por finalmente ter chego o grande dia! *-*

Fui convidada para participar do projeto 6 on 6 com mais cinco blogs! Yay!

Pra quem não sabe do que se trata a brincadeira, vou explicar! Os seis blogueiros devem postar todo dia 6 do mês um tema que foi escolhido pelo grupo, sendo que cada tema foi sugestão de um integrante!

Estou super animada porque nunca participei de nada parecido, e pra mim vai ser super desafiador, já que os temas são bem criativos e diferentes! Mal posso esperar pra postar todooo o o oos!

Agora vamos ao que realmente interessa, folks! O tema de junho é “Por onde andei”, sugestão da digníssima Thay Dominick, do blog Universo Múltiplo. A ideia é tirar fotos de lugares que passamos durante o mês ou lugares que gostamos muito, mas mostrando apenas os pés. Aí, em cima da imagem deveríamos colocar o nome do lugar ou da rua em que a foto foi tirada para ter uma referência. Sensacional, eu sei! <3

Seguindo as regrinhas da Thay, aqui vão os lugares por onde meus pezinhos passaram nesse mês!

 

 

 

p2

Bom, pra quem não me conhece, eu comecei um projeto fitness esse ano, e venho praticado corrida de segunda a sexta nesse parque aqui da minha cidade. Então resolvi compartilhar essa fotinho, já que é algo que faz parte da minha rotina. O parque é maravilhoso, super arborizado, com fontes, laguinhos, parques infantis e o que mais você imaginar. É um lugar simplesmente incrível e estimulante para quem quer se exercitar.

 

l2

 

 

p3

Outro projeto que comecei esse mês com o meu namorado é o de conhecer melhor São Paulo. Afinal de contas, é uma vergonha morar aqui e não visitar os lugares mais maravilhosos da cidade. Eu já havia ido no Ibirapuera outras vezes, mas esse foi um dia mais especial, onde alugamos bicicletas, andamos por todo o parque e paramos para vislumbrar essa paisagem maravilhosa!

 

l3

 

 

p4

O lugar em si não é nada demais. Não é bonito, não é majestoso… É apenas o terminal da minha cidade. Mas pra mim ele é mais que especial, porque é a partir dele que vou para qualquer lugar. Para o centro, para São Paulo, para o céu! É aqui que tudo começa.

 

l4

 

 

p5

Não sei se vale repetir o local, mas não estou exatamente repetindo, né? Precisei compartilhar esse ato cultural que encontrei em meio ao Parque Ibirapuera porque achei simplesmente instigante!

Você tá passeando distraidamente, quando seus pés passam por uma “pintura” no chão. Você volta, curioso. Aí lê essa frase linda, levanta os olhos, e não tem como não sorrir e apreciar o momento, mesmo sem querer!

 

l5

 

 

p6

NÃO RIAM! Tudo bem, eu sou estranha. Aqui também não é um lugar especial, mas eu sou muito fã de decoração com matérias, e enquanto eu esperava meu namorado no provador, tirei essa foto na cabine ao lado. Faz parte do meu registro do mês, certo? Certo!

 

l6

 

 

p7

Pra ser sincera, não lembro o nome da rua, então não briguem com eu! Esse foi um dia chuvoso, como bem podem ver. Eu estava indo realizar o trabalho voluntário para o qual me inscrevi, e ele aconteceu durante toda a semana no Parque Ibirapuera. Por isso tem mais de uma foto do local. Resolvi dividir a foto com vocês porque AMO chuva e o efeito da sombra do guarda-chuva me encantou. <3

 

This is it! O que acharam? Gostaram? Odiaram? Aplaudem? Vaiam? Pode falar, meus amô! <3

Ah! Pra quem quiser acompanhar os blogs que também estão participando desse projeto maravilindo, aqui vão os links!

★ Universo Múltiplo

★ Cor de Cereja

★ Daianne Possoly

★ Diário Colorido

★ Padrão It

Translate »