O que mais gosto em NYC

Em 27.06.2016   Arquivado em Por aí

NYCpostt

Eu realmente tenho tido uma imensa dificuldade para produzir conteúdo para o blog. E nem vou dizer que o motivo principal é a falta de ideias. Quem acompanha o Além do Meu Mundo sabe que ando numa fase maledita que se chama falta de vergonha na cara inspiração.

Venho conversando com bastante gente a respeito (não tanto quanto gostaria), e apesar de ser meio óbvio, uma pessoa me sugeriu escrever sobre algo do qual eu realmente esteja gostando no momento. Ler e escrever, que são minhas maiores paixões, estão um pouquinho de lado nas minhas prioridades. Mas se tem uma coisa que eu realmente estou amando de paixão paixão… É New York.

Estou aqui há 9 fuckin’ meses e essa cidade ainda consegue fazer eu me apaixonar cada vez mais por ela. ENTÃO decidi fazer um post fofico dedicado ao meu segundo e eterno lar e falar as coisas que eu mais gosto em NYC!

Metrô 24 horas

Acho que o sonho de todo paulista é que o transporte metroviário de São Paulo um dia seja 24 horas. E eu não tiro a razão. Isso definitivamente é a melhor coisa do mundo (pra não mencionar o fato de que você realmente pode ir pra QUALQUER lugar de NYC usando o metrô, porque tem em qualquer canto).

É claro que não é a coisa mais limpa do mundo, mas funciona muito bem, obrigada (exceto nos finais de semana, quando inventam de fazer manutenção em alguma linha e cagam seu rolê. Mesmo assim, os bonitos oferecem shuttle de graça e fazem caminhos alternativos para você chegar ao seu destino. É ou não é uma coisa linda de se ver?).

 

Segurança

segurança

Apesar dos americanos ainda serem muito pirados com relação à segurança e muitos ainda considerarem NYC uma cidade perigosa, eu preciso dizer que me sinto muito mais segura aqui do que em qualquer outro lugar que já estive no Brasil.

Quer dizer… Incontáveis são as vezes que saio para partyear e volto na madruga boladona sem medo ALGUM de andar sozinha na rua, com o celular na mão e tudo. Isso que as ruas residenciais são muito mal iluminadas. No começo eu parecia uma louca correndo até chegar em casa. Depois percebi que nunca estive tão segura em toda a minha vida!

É CLARO que não estou dizendo que não existe violência aqui, calmem lá! E também não é bom ficar dando sorte pro azar. Mas né!

 

Sale é sale de verdade

Cheguei em mais um assunto polêmico, né?

Agora eu entendo porque é tão difícil guardar dinheiro aqui, minha gente. Eu sempre tive facilidade e sempre soube me conter quando precisava maneirar nos gastos. Mas aqui eu confesso que o buraco é bem mais embaixo. Como dizer não a um vestido super gracinha da F21 que está $4.90? Ou um não ainda maior a um par de tênis maravilindo da H&M por $14? Não. Consigo. Lidar.

 

Night Clubs

Chegamos num tópico importantíssimo aqui. E isso se dá pelo fato de que no Brasil eu nunca liguei muito de ir pra balada. Mas aqui a coisa é totalmente insana e extremamente acessível ao nosso bolso. É hora do sexo feminino segurar a marimba, porque mulher entra e consome de graça. Sim, você não leu errado. Nem precisa passar os olhos duas vezes na mesma sentença. Basta você entrar em contato com o promoter da festa que você quer ir (o que é a coisa mais fácil do mundo, já que o que mais tem em NYC é promoter querendo levar você pra festa deles). E não precisa nem fazer bico, porque os homens pagam, mas nem é tanto assim (quer dizer, depende da balada), mas a consumação também é à vonts, sem limites!

Vale tanto à pena partyear que tem que tomar cuidado pra não viciar nessa vida. AH, e pra quem sempre sonhou em fazer uma Limo Ride (passeio de limusine), chora, porque por $25 você enche a cara passeando por Manhattan!

Aqui o glamour é certo, bee!

 

Rooftops

Apesar dos rooftops (telhados) serem conhecidos apenas por abrigar muitas das baladas de NYC, não é só pra isso que eles servem, não! Eu sempre fui apaixonada por esses lugarezinhos no meio da cidade quando via os filmes que tinham NYC como cenário. Porque parece um universo a parte daquela loucura que é a cidade grande. Muitos bares também possuem áreas em rooftops e são maravilhosos. Aliás, até os hotéis que recebem as festas, de dia costumam receber pessoas apenas para um “hang out”. Ir a um rooftop é decididamente uma das minhas atividades favoritas aqui. E o principal motivo disso é a vista. Um dos meus rooftops prediletos é o Le Bain. Só tive a oportunidade de ir até lá de noite, mas mal posso esperar para ir de dia, agora que o verão está chegando!

Le-Bain

Parques

CentralPark

Não achou que eu ia falar de NYC sem citar o que os new yorkers mais apreciam depois de um bom café, não é mesmo? (Aliás… Se puderem tomar café no parque, só faltam vomitar arco-íris). Como new yorker bixete que sou, desenvolvi um certo gosto por parques que nunca tive no Brasil. Guardo momentos memoráveis no parques Ibirapuera e Trianon, mas acho que quando eu voltar saberei aproveitar esses passeios.

É realmente uma delícia correr para um refúgio como o Central Park, Van Cortlandt Park ou o Wave Hill. Parques e árvores espelhados no meio do caos da selva de pedra são a salvação, pode acreditar.

 

Diners

Quer pagar uma miséria e comer que nem um boi? Seu lugar é o diner. Perfeito para quem está voltando daquela baladinha, sabe? (Quem lê parece que eu sou a rata das discotecas, sqn). Quando tô querendo salvar grana (leia-se sempre), me acabo em um diner. E engana-se se acha que a comida lá é ruim. Muito pelo contrário! Ainda tem o plus de se sentir naqueles filmes americanos em que toda a galera se reunia sempre no mesmo bar, sabe sabe? <3

 

Dunkin’ Donuts

Ok, Dunkin’ Donuts é uma coisa que tem em todo lugar dos USA. Assim como os Diners. Assim como quase todos os tópicos do post. Mas vale frisar que essa é a minha visão morando em NYC, então eu ganhei, pronto e acabou. (aquelas).

Bom, para quem não sabe, o Dunkin’ Donuts é uma franquia de cafés concorrente do Starbucks que, como o próprio nome já diz, tem o diferencial da venda de quê? Donuts, 10 pontos pra Grifinória. E devo dizer que é bem páreo para o nosso queridinho que faz o maior sucesso em SP. Tem muita coisa que eu prefiro muito mais do DD do que do Starbucks, porque você tem uma variedade maior de comes e não só bebes. Meu favorito é o grilled cheese. Nem tem nada demais, mas né… E o que é o Frozen Dunkaccino? É bem parecido com os famosos frappuccinos do Starbucks. Perdição, apenas.

 

A cidade que nunca dorme. MESMO!

NYC

A cidade realmente faz jus à nomenclatura! Se tem uma coisa que não tem como acontecer, é ficar entediado em NYC (eu fico às vezes porque sou chata e meio forever alone, mas ignora). Você SEMPRE vai ter o que fazer por aqui. Sempre tem uma festa, uma exposição, um evento, um acontecimento, um show, uma peça de teatro…! Essa cidade tem tantos atrativos que realmente, só fica em casa quem quer. E nem vem com essa de “ah, mas tô sem dinheiro”. Dinheiro aqui muito raramente é o problema. Balada é de graça, evento é de graça…!

 

Já deu pra entender porque eu AMO esse lugar, né?

NYCpost2

E aí? O que achou do post sobre a minha Big Apple? E você que já deu o ar da graça na cidade? Acha que esqueci de mencionar alguma coisa? Pode colocar tudo ali na caixinha de Pandora! <3

4 ON 4: Um dia na minha vida

Em 10.06.2016   Arquivado em Por aí

Div4on4

Tô viiiiva, gente!

Sei que tô sempre prometendo uma volta triunfante que nunca acontece, mas todo grande gênio mundo tem bloqueio criativo em algum momento da vida.

EmmaWatsongrrrr

Por isso que foi uma surpresa e uma animação muito grande quando a minha querida Allie, do blog Lovecats, me convidou pra fazer parte de um projeto fotográfico! Quem sabe assim não me animo a fazer posts decentes para os meus leitores mais que decentes? Sim ou com certeza?

So! Dona Allie convidou mais duas blogueiras super queridas pra participar do 4 on 4: a Nathália do 48 Janeiros e a Isabelle do Pequeno Ser Pensamente. Se ficou interessado(a) em dar aquela checadinha básica, don’t worry! vou elencar todos os blogs bonitinhos ao final do post!

Muito que bem, muito que bom. Um sorteio bem elaborado (de papelzinhos via vídeo super fofo da Allie) decidiu que o primeiro tema seria “Um dia na minha vida”. Achei bem pertinente e até divertido, porque apesar de eu sempre trazer fotinhos da minha vida aqui nos USA, é sempre um compilado. E dessa vez eu vou mostrar (bem resumidamente) um pouquinho da minha rotina no dia-a-dia. Inclusive a missão “ser au pair”.

Senta que lá vem foto do dia 08 de junho, melbem!

IMG_1490

Acho que já deu pra notar pelas minhas fotos anteriores que AMO tirar foto de sombra, néam? Pois bem. As sombrinhas ali são, da direita pra esquerda, eu, Levi e Zev (os dois meninos dos quais eu cuido). Estávamos esperando pelo bus school!

IMG_1403

Aqui é a minha pessoa prontinha para ir ao parque correr! *-* desde que começou a esquentar, abandonei a academia para me exercitar ao ar livre com uma amiga!

IMG_1465

Eis aqui as pernas da branquela a caminho do parque. Não tem nada demais, mas gostei da composição das corer, COLICENÇA.

IMG_1404 IMG_1405

Essas duas fotinhos foram tiradas seguidamente, ainda indo para o parque! Eu adoro a caminhada até lá. (Acho que deu pra perceber, né?)

IMG_1446 IMG_1447 IMG_1451

Essas três fotinhos representam o momento em que espero pelo school bus do Levi chegar. Eu caminho até o final do quarteirão da minha rua, e minha vista é essa casa que eu fico namorando todos os dias. E aí não demora muito até aquele famoso school bus amarelo que amamos no filme chegar! <3

Queria ter feito uma coisa mais bem elaboradinha, e juro que tive ideias bem foficas para tal, mas ainda deu pra perceber que a velha Nats ainda não voltou com os posts tudo, né? Porém, no entanto, todavia, eu ainda não desisti! Então não desistam de mim tomein, por favorzinho!

Mal posso esperar pelos próximos temas! E quer saber de uma coisinha? Até que me deu vontade de postar minhas 9384363283427 fotos atrasadas, hein?!

Muito bem, por hoje é isso, kids! Ah!

Seguem os blogs das outras meninas! Deliciem-se <3

Lovecats

48 Janeiros

Pequeno Ser Pensante

Um rolê por New York #5

Em 19.03.2016   Arquivado em Por aí

Eita, que eu vim tirar a teia desse blog de uma vez, minha gente! Não priemos cânico, juro que não fiz aquele post pra sumir de novo. Agora que as coisas estão voltandinho nos eixos, resolvi dar aquela avaliada nas fotos dos últimos meses que eu deveria ter postado aqui, mas NÉ?

A verdade é que eu fiz vááários passeios em parques e outros sposts super legais, mas atrasei tanto os posts que não sei se valeria à pena postar tudo. Então decidi fazer um compilado dos melhores cliques que dei por aí. É CLARO que ainda existem outras mais e vou retomar a coisa toda aos pouquinhos, pinky promise! E se caaaso vocês queiram que eu poste os passeios na íntegra, separadinhos… É só fazer aquele coment fofo ou entrar em contato comigo como muitos fizeram na minha ausência! Aliás, obrigada pelo carinho *-*

Ok, agora CHEGA de papo, vou mostrar por onde eu andei nesses dois meses. Aliás… Muitos cliques são de outubro, dos meados dos Dias das Bruxas, riri. 😡

IMG_1219 IMG_1360

PS1: Aí você vai no mercado no mês de outubro e.. Opa! O_O

IMG_1375 IMG_1481 IMG_1515 IMG_1567 IMG_1721

IMG_1727 IMG_1764

PS2: AAAI, o outono! O inverno sempre foi a minha estação favorita… Mas o outono nos USA, gente… Indescritível. Como bem podem ver, o que eu mais fiz nessa estação foi ir aos parques mais lindos da vida, haha

IMG_2089 IMG_2166 IMG_2167 IMG_2182 IMG_2200 IMG_2212 IMG_2214 IMG_2219

IMG_2229 IMG_2231 IMG_2238 IMG_2333 IMG_2347

IMG_2420 IMG_2917 IMG_3440 IMG_3867 IMG_3874

IMG_3889 IMG_3916 IMG_3939

PS3: Uma das minhas fotos favoritas da vida. New York in blue <3

IMG_3995 IMG_4175

IMG_4179 IMG_4180 IMG_4293

PS4: Uma fotinho pra ilustrar o meu Natal, que aliás, foi maravilhoso! Passei na casa da minha miga mais linda, Ana, do canal Agora Virei Gringa. Saudades, guria :'(

IMG_4428 IMG_4435

IMG_4438 IMG_4447 IMG_4450 IMG_4454

Overdose de fotos aleatórias, EU SEI. Mas juro juradinho que se quiserem posts foficos mostrando spots específicos, eu faço. Vocês decidem, munamures. <3

Au Pair: Adaptação

Em 22.09.2015   Arquivado em Por aí

Adaptação

Alguém notou que eu dei uma diminuída nos posts sobre au pair? Vocês: Siiim, Nats! Mals aê!

Então, haviam me pedido pra falar sobre o tema antes… Mas eu precisava exatamente de um tempinho para poder escrever sobre isso. Se bem que eu estou aqui apenas há quase três semanas, então não sei o quão eficaz esse post será, mas tudo bem.

thumbsup

Vim falar do primeiro terror de uma Au Pair assim que ela pisa nos States: a adaptação. E sim, tem MUITA coisa relacionada a isso, por isso resolvi listar algumas coisinhas pra vocês se prepararem para se acostumar:

 

“Mi casa es su casa”

Sim. É a primeira coisa mais estranha com a qual você vai ter que se acostumar a partir do momento em que você pisa na casa da sua Host Family. OPS, a partir do momento em que você pisa na sua casa.

amigas

A Host Family vai dizer te falar: “Quero que você se sinta à vontade. Aqui agora é a sua casa. Sei que parece meio óbvio, mas você pode abrir a geladeira e os armários sempre que sentir fome.” Também vão falar: “Tem algo que você goste de comer que você gostaria que a gente comprasse?”. Como se a gente fosse realmente dizer, né?

Pois é. É muito estranho tentar se sentir à vontade, porque é algo que você acaba tentando se forçar a fazer. Mas relaxa, isso vem com o tempo. A primeira vez em que fui abrir a geladeira perto deles eu ainda soltei um “licença”. E sinceramente, o único lugar que me sinto REALMENTE à vontade é no meu quarto e no meu banheiro. Mas sei que aos poucos isso vai mudar.

E minha host family é muito boa pra mim. Acho que isso é primordial! Eles estão sempre preocupados comigo, com o meu bem-estar, sempre me dão espaço pra falar o que eu acho e como eu me sinto.

 

Comida

Já que citei a parte da comida, aí vai! Aqui tem muita diversidade, então você não vai sentir falta de muita coisa, a não ser de coisas específicas da sua região. Mas mesmo assim, é possível encontrar tudo aqui, sem brincadeira.

Mas a parte da diversidade também pode ser um problema pra quem não quer engordar – tipo eu. Eu sinto que já engordei e estou em um drama interno comigo mesma. Já comecei a maneirar, porque senão… Xá pra lá.

comidademi

 

Kids

Acho que essa é a parte mais aterrorizante, porque você, mais do que nunca, vai fazer de TUDO pra que as crianças gostem de você. Vai tentar agradar, vai levar foras, vai acertar, vai errar.

O começo é sempre a pior parte, principalmente porque muitas vezes você não será a primeira au pair deles. Vai haver comparação, vai haver saudade… Então você precisa estar preparada e ser forte.

Meu primeiro afazer quando peguei no batente foi a preparação para ir para a escola pela manhã. Eu não sei o que foi que eu mais me senti: perdida ou inútil.

Worthless

Eu não sabia o que eu tinha que fazer primeiro. Café da manhã? Roupa da escola? Checar mochila? E pra piorar, em vez de eles me pedirem as coisas, pediam aos pais, que estavam correndo se preparando para irem trabalhar. Eu estava desesperada, porque eu fui contratada pra fazer isso. Se eu não estou fazendo, por que diabos me terão em casa?

E eu realmente sentia que não ia rolar, porque os meninos são super tímidos, sabe? Eu achava que eles me ODIAVAM. Mas acontece que uma hora eles VÃO precisar falar com você, então não se preocupe. O elo começa a se formar por necessidade e depois vira até afeição!

Quase morri quando o mais novinho disse que eu era a melhor au pair essa semana.

Strong

Então desencana. Lembre-se que se pra você tudo é novo, para as crianças também é. Imagina o quão difícil é ter que se desapegar de uma au pair e ter que se acostumar com tudo de novo? Ainda mais em se tratando de crianças. Dê tempo ao tempo e não tente forçar situações.

 

Afazeres

Parece que não vai funcionar e que foi a maior furada da sua vida ter inventado ser au pair. Você não sabe lavar roupa. Você não sabe passar roupa. Você não sabe cozinhar. Você não sabe TANTAS COISAS! CALMA LÁ, SOLDADO.

É tudo como um novo emprego. Você vai errar, você vai fazer 300 perguntas repetidas, vai se frustrar, vai querer morrer. Mas não vai morrer. Porque quando você acerta UMA VEZ tudo começa a caminhar.

Primeiro que tudo depende da sua Host Family. Você vai acertar seus afazeres antes de vir, claro. Então você pode se preparar (ou não). Eu, por exemplo, sou uma LÁSTIMA na cozinha.

cozinhando

Mas eu sabia que ia ter que saber cozinhar umas coisinhas e eles sabiam que eu não manjavam. A host mom se comprometeu a me ensinar algumas coisas. Além disso, internet tá aí pra isso, né, gentis? Eu estou aprendendo, já ouvi das kids “isso tá horrível!”. Mas também também ouvi “sua comida está ficando cada vez melhor.” Você tem que se prontificar a aprender e não desistir fácil.

E não se sinta diminuída por ter que fazer algum trabalho doméstico. Aliás, é o mínimo que você pode fazer. Tudo bem que você está sendo paga pra cuidar das kids. Mas não se esqueça que você não está tendo gastos com comida, água, telefone, estadia… Não custa nada lavar uma loucinha ou dar uma varridinha, né? Além do mais, pra mim está sendo sensacional ter que finalmente me virar sem ajuda da mommy all the time.

 

Independência

Essa palavra parece uma música aos nossos ouvidos, né? Mas cuidado. A palavra “responsável” vem junto dessa primeira, principalmente sendo uma au pair.

Você vai poder ir e vir sem ter que dar satisfação. Você vai poder se programar do seu jeito sem ninguém ficar cagando regras (quando o assunto dizer respeito à SUA vida, que fique bem claro). Você vai se ser dona do seu nariz, vai cuidar das suas próprias coisas. Isso inclui roupas, comida, organização do quarto.

Eu não sei vocês, mas eu SUPER adorei isso tudo.

independent

Me sinto muito mais adulta, muito mais tudo. Eu realmente precisava disso.

Bom, mas lembra que eu te disse que você também estará ligada a outro tipo de responsabilidade? Pois é. Na minha casa funciona da seguinte maneira: tudo o que tem a ver com a vida dos meninos me diz respeito. Roupas, alimentação, material escolar, organização do quarto…

Calma, eu não ajo como mãe. Eu cuido das roupas porque é óbvio. A alimentação e o material também. Mas muitas coisas eu apenas me CERTIFICO de que estão sendo feitas, como por exemplo a lição de casa. Ou o banho, ou a organização dos brinquedos. Os meus host parentes sabem bem que o papel de pais deles é fundamental e não me sobrecarregam de forma alguma, o que é maravilhoso. Todo o tempo que eles estão em casa eles se dedicam inteiramente aos meninos, e eu acho isso muito admirável.

Mas mesmo assim, você sentiu o drama? Você será responsável por outras vidas além da sua. Isso é, ao mesmo tempo assustador e incrível.

 

Amizades

Acho que no momento essa tem sido a pior parte pra mim e que ainda estou levando um tempo para realmente me adaptar. Por mais que eu tenha meus amigos no Brasil e que eu fale com eles praticamente TODO DIA, sinto necessidade de ter amigos próximos aqui. É claro que ainda não tive tempo de fazer amigos AMIGOS aqui, né, gente. Amizade não se constroi em um dia.

O problema é que anseio tanto pelo momento de novas amizades (e preferencialmente gringas pra poder usar o inglês), que acaba não rolando. É tipo aquela história de amor, que quanto mais você procura, menor a chance de encontrar.

Quando eu parar de me importar vai rolar.

shailene-woodley-so-rad

Inglês

E falando em inglês… Aconselho vocês virem com um inglês minimamente bom, e não é brincadeira. Eu estudei 6 anos de inglês e ainda tirei o certificado de proficiência da Universidade de Michigan. E mesmo assim eu estou apanhandinho, juro.

No primeiro dia que cheguei aqui e escutei o sotaque nova-iorquino da minha Host Family pensei. “Whatahell eu tô fazendo aqui? Gente, não sei inglês. Tchau América, tô voltando pro meu BR.” Fiquei mega assustada e pensei que não conseguiria lidar.

Felizmente meus ouvidos já estão mais acostumados, e agora eu só apanho quando são coisas muito específicas, tipo utensílios de cozinha e alimentos. Mas essa semana mesmo escutei do meu Host Dad que meu inglês tá bem melhor do que quando cheguei. Isso também tem a ver com o nervosismo. Quando estou fora de casa dou um SHOW falando em inglês, mas em casa tem aquela coisa de “aceitação” e querer falar certo, sabe? Aí já viu. Mas manda a ver e fale sem medo.

E a parte mais engraçada é quando você esquece que não está no Brasil e às vezes a tecla SAP falha, aí você começa a falar em português e ninguém entende o que tá acontecendo. Faço isso sempre, apenas.

chocado2

Bom, acho que esse assunto ainda vai ter MUUUITO pano pra manga, mas por enquanto eu já dei bastante lição de casa pra vocês hoje, né, crianças?

professortiburcio

Continuem acompanhando e mandando suas dúvidas, que tá ficando lindo! <3

Além do Meu Mundo na terra do Obama!

Em 14.08.2015   Arquivado em Por aí

world

Tenho explicações a dar! Sei que tenho faltado muito com meus leitores amadinhos, sabem que odeio ficar sem posar, mas agora eu finalmente posso contar pra vocês o motivo desse sumiço repentino.

Pra quem acompanha o blog já sabe que o motivo inicial foi um freela que eu peguei (e no qual eu ainda estou trabalhando). Esse trabalho temporário toma muuuuito do meu tempo, e tem sido super difícil conciliar tudo, então sim, peço desculpas mais uma vez, porque talvez isso se estenda até a próxima semana, depois tudo volta ao normal e vocês vão ter que voltar a me engoliiiiir!

Agora voltando ao segundo motivo! Assim que consegui o freela, dois dias depois tudo virou de cabeça pra baixo e eu finalmente tive a confirmação de que vou poder fazer meu intercâmbio, gentxeeee! Vocês conseguem imaginar o quanto estou feliz? Esse é um sonho que eu tenho deeeesde pequenininha, se estendeu à minha pré-adolescência e adolescência e perdura até hoje, mas eu nunca havia tido a oportunidade de realizá-lo porque essa parada custa MUITO dinheiro, né.

“E o que aconteceu, Nats? Agora você ganha dinheiro com o blog e está muitíssimo ryca? Tá esfregando na cara do proletariado?”. Nem é, mané.

O que acontece é que há três meses estava em um processo para tentar ser au pair na terra do Sr. Obama. “Au o quê?!”

tane

Calma, calma, não priemos cânico! A expressão au pair, vem do francês significa “ao par” ou “igual” e tem sua origem na ideia intercâmbio econômico entre serviços trocados. Isso significa que eu irei morar na casa de uma família americana, tornando-me parte dela, e participarei de todas as rotinas e atividades da casa enquanto cuido das crianças.

“AHHH, você vai ser babysitter!”. Não, não serei babysitter!

O serviço de au pair é um programa econômico de intercâmbio cultural que dura em média de um a dois anos, voltado em geral para jovens mulheres entre 18 e 30 anos. (Mas há vagas para homens também). Babysitter é realmente uma funcionária doméstica contratada num regime de horas, como no Brasil. Além disso, ela não tem vínculos empregatícios com a família, recebendo assim o pagamento pelas horas trabalhadas.

Enfim! Fiquei três meses online à procura de uma família, e finalmente, no finalzinho de julho, eu encontrei! *-*
Porém, no entanto, todavia, a família quer que eu chegue nos US no começo de setembro. Isso significa que eu estou fuckin freakin out, correndo contra o tempo, organizando as coisas, matando saudade, correndo com papeladas… Imagina tudo isso mais o tal freela que eu falei que me consome muito? POIS É!

ahhhhhh

Ah! Agora vem a parte maneira, galere. Sabem onde eu vou morar? Uma dica:

giphy

SIM, NEW YORK CITYYYYYYYYYYY! Parece um sonho, sério, tô acreditando ainda não! E depois de escrever essa bíblia, finalmente vou poder contar a novidade que eu tanto fiz mistério! Vai ter diário de bordo sobre o intercâmbio, SIIIIM! Tudo na categoria “Por Aí”! E se reclamar vai ter fotos também! (mentira, nem precisa reclamar, porque já ia ter fotos, mesmo…).

E aí, gostaram? Eu gostei, e gostei muito! O Além do Meu Mundo vai virar além do meu mundo MESMO! Vão me acompanhar nessa aventura? Sigam me os bons, pois eu vou contar cada capítulo dessa minha história que vai me render muitas novidades, além de assuntos e crônicas!

AHHH, alguém aí ficou interessado em saber mais sobre esse negócio de au pair? Se sim, manda sinal de fumaça, e eu farei posts especiais falando TUDO sobre processo, application, espera, entrevistas, papeladas, preparativos…!

Translate »